Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Buscas no Site
Buscar
Em     
terça-feira,
28 de março de 2017
Atualizado em: 04/01/2017
     
Pequenos Golpes Populares
O cliente desesperado (para advogados)

Alavancas: Ganância, Ingenuidade e Escassa Atenção, Irracionalidade



Este pequeno golpe, aos danos sobretudo de advogados, foi relatado, com algumas variantes, em várias cidades do Brasil.

O esquema de base do golpe é o seguinte.
No escritório da vítima, um advogado, se apresenta de repente uma pessoa desconhecida, freqüentemente aparentando ser muito perturbada, que conta alguma história dramática supostamente acontecida nas últimas horas ou dias.

Estas histórias variam desde assassinatos até acidentes de transito com mortos e feridos ... em todo o caso a pessoa está supostamente envolvida na história de alguma forma (como autor ou vítima do evento) e, sendo residente em algum lugar distante, precisa da ajuda de um advogado local.
A pessoa, obviamente, ao longo de sua história, deixa entender ter boas condições financeiras, patrimônio e estrutura.

A defesa ou serviço solicitado é sempre do tipo muito interessante pelo advogado e a história é contada de forma profissional, com detalhes e em alguns casos até com documentos probatórios e fotos. O objetivo do golpista é deixar o advogado bastante empolgado com a possibilidade de cuidar, na justiça, de uma ação que provavelmente lhe renderá também um bom dinheiro.

O golpista assina mandatos a favor do advogado, informa endereços e telefones e eventualmente entrega cópia de documentos (RG, CPF etc... ), tudo falso. Para terminar o golpista arruma alguma desculpa (estou me escondendo e sai de casa sem pegar nada, perdi tudo no acidente, preciso viajar para conseguir documentos ou por outra razão etc...) e, mostrando-se constrangido, pede ao advogado se não poderia lhe emprestar uma pequena quantia para permitir cobrir determinadas despesas urgentes (a diária do hotel, comida, uma passagem, despesas de cartório para documentos etc...). É claro que o valor seria devolvido em breve, assim que normalizada a situação.

O advogado, avaliando a situação potencialmente muito positiva para ele, acaba cedendo e emprestando (ou "adiantando") valores variáveis de 100 a 1.000 R$ para o golpista. Este agradece, e sai prometendo ligar, dar notícias ou voltar no dia seguinte... e obviamente nunca mais se ouvirá falar dele, da ação na justiça e menos ainda do dinheiro "adiantado"!!
CAPÍTULO  Anterior -  Próximo


Login
Usuário:
Senha:
     
Patrocínios





NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados.   Design by D.Al. Eventos | "O Monitor" | Humor | Mapa do Site | Estatísticas | Contatos | Aviso Legal | Principal