Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Buscas no Site
Buscar
Em     
terça-feira,
28 de março de 2017
Atualizado em: 04/01/2017
   
Fraudes Financeiras e Comerciais
Financiamentos com base em "assets" Custodiados
(para aplicação em "Roll Programs", HYIP ou similares)

Alavancas: Ingenuidade, Necessidade, Gostinho do "Misterioso/Exclusivo", Ganância, Ignorância Técnica, Irracionalidade



Foi relatada, também no Brasil, uma modalidade de fraude que pode ser classificada como uma variante mais sofisticada do famoso "Roll Program".
Em síntese um intermediário se aproxima de um empresário que esteja precisando de algum financiamento.
O intermediário conta que existe a possibilidade de obter um financiamento no exterior usando como garantia títulos, ações, bens ou outros valores (reais e bons), de propriedade da vítima, que serão depositados em um banco através de um contrato de "Custódia" (safekeeping) e depois oferecidos em garantia. Este financiamento seria sujeito à umas regras particulares. A mais relevante é que, para permitir juros reduzidos (ou para que as garantias oferecidas permitam tomar um empréstimo muito maior do valor delas), o dinheiro obtido através deste financiamento deverá ficar durante um tempo (de alguns meses até 2 anos, normalmente) num programa de aplicação de alta rentabilidade (HYIP).

O financiamento, raras vezes, é realmente liberado (estes tipos de financiamentos, baseados em penhor, depósitos ou custodias de valores reais podem existir realmente, apesar de serem bastante raros) e depois sujeito ao mesmo fim de qualquer dinheiro aplicado em "Roll Programs" (veja capítulo relativo, no link acima).
A diferença é que o banco que liberou o financiamento tem como garantia os títulos, ações, bens ou valores e na hora em que a vítima não devolver o dinheiro do empréstimo (porque o perdeu integralmente no "roll program") o banco vai tomar a sua garantia (legalmente e honestamente, aliás, sendo que o banco normalmente não tem nada a ver com este esquema).

Em outra variante a vítima é um investidor qualquer, com boa capacidade patrimonial/financeira, mas sem necessidades particulares de financiamento ou liquidez.
Neste caso o que se promete é simplesmente a multiplicação do valor dos títulos depositados sem que estes precisem ser vendidos ou liquidados (ou seja uma ganho financeiro bem maior do obtido simplesmente com a rentabilidade dos títulos, supostamente sem riscos). Ou seja o investidor deverá depositar seus valores num banco que, com lastro nisso, liberará um financiamento que será usado pelos golpistas num "roll program", onde o montante será integralmente perdido e, depois disso, as garantias tomadas pelo banco. O fim é sempre o mesmo.
CAPÍTULO  Anterior -  Próximo


Login
Usuário:
Senha:
     
Patrocínios





NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados.   Design by D.Al. Eventos | "O Monitor" | Humor | Mapa do Site | Estatísticas | Contatos | Aviso Legal | Principal